A tensão da primeira crise de 2019 no Sousa atesta que estamos na pista

  • garotao 

Antes de desenvolvermos o raciocínio neste post, cabe anotar que a “crise” da mudança de treinador é/deve ser página virada no Sousa e que “pista” é expressão idiomática usada pelos mais jovens para significar (aqui) que “estamos na ativa”.

Então vamos ao que gera tensão.

Se o senhor(a)/você é torcedor (a) do Sousa deve ter sentido algo próximo a angustia, apreensão ou ansiedade com os dois empates nas duas primeiras rodadas do Paraibano 2019. E também preocupação com a mudança inesperada no comando técnico.

Se não tens a honra de torcer para o Dinossauro Verde do Sertão (lamentamos por isso), na condição de torcedor (a) de algum Clube já deves ter sentido uma tormenta de sentimentos confusos e/ou conflitantes em situações de pressão, como, por exemplo, a busca por uma classificação que se mostra (va) distante a cada rodada.

É disso que estamos tratando.

Foram disputadas apenas duas jornadas do combalido Campeonato Paraibano de 2019 e, pelos dois empates do “invicto” Sousa na competição, a efervescência das contradições, dos desencontros, das tensões e das cobranças de todas as forças e de todos os interessados nos faz re-viver a realidade de que o Dinossauro está, em mais um ano, no gramado das disputas.

Sim. É isso mesmo. Um turbilhão de emoções. Um grito de golão golão preso na garganta. Uma vontade incontida de vencer. A confiança que o Dinossauro é Guerreiro.

Nesta trilha, o Dino não está e nunca estará sozinho.

Se alguém em algum lugar, de perto na arquibancada ou de longe pelo rádio, sente, ora, vibra, chora ou sorrir com e pelo Sousa é sinal que esta paixão vive e pulsa.

#vaisousa #vaidinossauro

Do Blog do Garotão / pelo Garotão