Dirigentes de Botafogo-PB e Campinense são banidos do futebol

  • garotao 

Entre os condenados estão ex-dirigentes de Botafogo-PB e Campinense-PB, além de nove árbitros e ex-membros da Federação Paraibana de Futebol (FPF) e do Tribunal de Justiça Desportiva de Futebol (TJDF-PB).

Do Portal Correio (14.11.2018)

Ex-dirigentes de Botafogo-PB e Campinense, além de nove árbitros e ex-membros da Federação Paraibana de Futebol (FPF) e Tribunal de Justiça Desportiva de Futebol (TJDF-PB), foram condenados na tarde desta quarta-feira (14), no julgamento da Operação Cartola, que desarticulou uma suposta quadrilha que manipulava resultados do Campeonato Paraibano.

Entre os condenados pelo STJD, foram banidos do futebol: Breno Morais (ex-vice presidente de futebol do Botafogo-PB), William Simões (ex-presidente do Campinense), além de Lionaldo dos Santos (ex-presidente do TJDF-PB), Marinaldo Barros (ex-procurador do TJDF-PB) e José Renato (ex-presidente da Comissão Estadual de Arbitragem da Paraíba). Nove árbitros também foram banidos do futebol.

Outros dirigentes

Além de Breno Morais, outros três ex-dirigentes do Botafogo-PB foram condenados pelo STJD. São eles Francisco Sales Neto, Guilherme de Carvalho (Novinho) e Zezinho Botafogo. Eles foram receberam uma suspensão de 540 dias, além de uma multa de R$30 mil reais cada.

O ex-diretor jurídico do Belo, Alexandre Cavalcanti, também foi julgado nesta quarta-feira (14), mas foi absolvido pelo STJD. Ele era acusado de instruir a diretoria do Belo a fraudar um Boletim de Ocorrência junto à Polícia Militar da Paraíba, em decorrência do jogo entre Botafogo-PB x CSP, ocasião em que um torcedor do Belo jogou um objeto em campo, o que acarretaria punição ao Belo.

Árbitros condenados

Os árbitros que foram condenados pelo STJD foram Adeilson Carmos Sales, Antônio Carlos Rocha, Antônio Umbelino e Francisco Santiago (árbitros da FPF), além de Tarcísio José e Josiel Ferreira (auxiliares da FPF). Outros dois árbitros e um auxiliar da CBF foram punidos, são eles Éder Caxias, João Bosco Sátiro e José Maria de Lucena Netto (auxiliar).

Amadeu Rodrigues

O julgamento do ex-presidente da Federação Paraibana de Futebol (FPF), Amadeu Rodrigues, deve acontecer no próximo dia 29. De acordo com o STJD, a defesa do ex-mandatário não teve tempo para se manifestar.