Destaques
Tazinho é o novo treinador do Sousa; 14 jogadores contratados
27 de maio de 2016 - Postado por: Redacao
A preferência de alguns diretores do Sousa é repassar as informações para sites e blogs do eixo Campina / João Pessoa.

Mesmo assim, segue contratações do Sousa, até agora, para a Série D 2016:

Treinador: Tazinho – Ex-CSP

Preparador Físico: Bruno Araújo (mantido do elenco que disputou o Paraibano 2016);

Preparador de Goleiro: Valmir Fia (mantido do elenco que disputou o Paraibano 2016);

Ricardo – Goleiro (mantido do elenco que disputou o Paraibano 2016);

Jr. Conceição – Goleiro (mantido do elenco que disputou o Paraibano 2016);

Luís Paulo – Zagueiro – Ex-CSP

Diogo – Zagueiro - (mantido do elenco que disputou o Paraibano 2016);

Eduardo Recife – Ala destro – (mantido do elenco que disputou o Paraibano 2016);

Camilo – Ala canhoto – (mantido do elenco que disputou o Paraibano 2016);

Jr. Lira – Volante - (mantido do elenco que disputou o Paraibano 2016);

Danilo Lopes – Volante - (mantido do elenco que disputou o Paraibano 2016);

Peu – Volante – Ex-CSP

Valber – Volante – Ex-CSP

Leandro – meia – Ex-CSP

Carioca – Atacante – Ex-CSP

Rafael Freitas – Atacante – Ex-Picos-PI

Rodrigo Potim –Atacante – (mantido do elenco que disputou o Paraibano 2016);



Confirmado: Sousa na Série D 2016 e 2017
27 de maio de 2016 - Postado por: Redacao
 

Vice-presidente do Botafogo classifica o Sousa de Várzea
11 de maio de 2016 - Postado por: Redacao
Palavras do vice-presidente de futebol da versão do Botafogo na Paraíba, Breno Morais, em entrevista aos microfones da Rádio Tabajara em 08 de maio de 2016:

- Não tem condição uma várzea dessa [Sousa] ser representante da Paraíba em Campeonato Brasileiro nem da Série H.

Durante a semana que antecedeu o jogo da volta

Alguns outros dirigentes da versão do Botafogo na Paraíba e parte da crônica esportiva pessoense também qualificaram o Sousa:

- Timinho.

- Time pequeno.

- Juntado na rua.

- Time de jogador que recebe quatrocentos reais por mês.

- Time de várzea.

- Time de merda.



A expectativa do Sousa pela Série D
11 de maio de 2016 - Postado por: Redacao
O Tribunal de Justiça Desportiva de Futebol da Paraíba deverá julgar na tarde-noite desta quarta (11 maio 2016) ação movida pelo Treze que tenta excluir o Campinense do Campeonato Paraibano de Futebol 2016.

A alegação dos galistas é que os raposeiros estão inadimplentes com encargos trabalhistas e previdenciários.

No último domingo o Campinense deveria ter enfrentado o CSP pela primeira semifinal do confronto. Esse jogo não aconteceu porque o Treze conseguiu liminar em instância desportiva superior.

O Sousa, não classificado para a final do campeonato após intervenção direta do apito amigo da versão do Botafogo na Paraíba, aguada solução do imbróglio provocado pelo Treze e desfecho dessa semifinal para saber se terá ou não uma vaga na Série D do Brasileirão 2016.

Caso o CSP não vença nenhum dos jogos da semifinal, contra Campinense ou Treze, o Sousa garantirá uma vaga no certame nacional, com data prevista para começar em 12 de junho de 2016.

Em tempo I: embora exista o direito de ação, esse recurso do Treze pode ser considerado medíocre. A diretoria do Galo deveria assumir que montou um time de segunda divisão para o Paraibano e que é a única responsável pela campanha bisonha do clube.

Em tempo II: tivesse o Treze sido punido pela paralização via justiça comum do Brasileirão Série D de 2012, quando o Sousa e outros inúmeros clubes foram prejudicados, duvido tivesse ingressando com essa nova manobra judicial.



Pelo bem da arbitragem paraibana
10 de maio de 2016 - Postado por: Redacao
 

Se no jogo não há juiz, não há jogada fora da lei
10 de maio de 2016 - Postado por: Redacao
“Não interessa o que o bom senso diz. Não interessa o que diz o rei. Se no jogo não há juiz. Não há jogada fora da lei.

A composição de Humberto Gessinger e Augusto Licks, para “O Exército de um Homem Só”, pode emprestar ao confronto Botafogo 2 x 0 Sousa (do último domingo, 08 de maio de 2016) o tema da vergonha que vem se perpetuando no futebol paraibano.

É inadmissível que uma equipe com as tradições do Botafogo de João Pessoa [versão paraibana do Botafogo do Rio de Janeiro – ao menos no nome] tenha que recorrer ao extracampo para vencer um clube do sertão, dado o poderio econômico do Clube da capital e dado o heroísmo do Sousa em se manter na elite do futebol paraibano na briga por títulos com pouquíssimos e escassos recursos financeiros.

O que aconteceu domingo no Almeidão foi um descalabro, uma afronta a todos que fazem a Federação Paraibana de Futebol. Acredito que atualmente, nem em futebol de várzea, nem em associação de peladeiros um árbitro teria a coragem de fazer o que fez o senhor Roberto Lima.

O Sousa foi amordaçado por seis cartões amarelos e uma expulsão direta. Roberto Lima deu carta branca para o volante Djavan caçar o lateral direito Eduardo Recife, bater e quebrar o meia Tarcísio e praticar MMA em campo. O árbitro reserva passou o jogo inteiro ao lado do banco de reservas do Sousa, enquanto “o feliz” Itamar Schulle ficou à vontade para passear etc. Nem vou citar o auxiliar Sousa Jr, para não sujar ainda mais esse post com rejeitos de condutas amorais.

Mas acredite, torcedor do Sousa, a crítica não deve ser direcionada a Roberto Lima, o árbitro em final de carreira que cumpriu ao pé da letra o que não diz a regra e favoreceu Botafogo e Cia. O traidor da história atende por José Renato – o presidente da Comissão de Arbitragem.

Por que Pablo Alves, Renan Roberto, Emmanuel Diniz não apitaram esse jogo Botafogo x Sousa? Por que Eder Caxiar está na geladeira? – por que marcou dois pênaltis existentes a favor do Sousa? Por que Broney Machado está na geladeira? - por que assinalou pênalti claro a favor do Sousa? Por que os FIFAs não foram escalados para as semifinais?

O debate transcende o Botafogo 2 x 0 Sousa do domingo 08 de maio. A politicalha na arbitragem paraibana compromete o trabalho dos clubes com menos recursos financeiros e prejudica a idiotice de quem “se alegra” com vitórias que tiveram o auxílio do apito invisível da arbitragem, basta ver em que série está o nosso futebol no cenário nacional.

Fora José Renato. Tome as rédeas da FPF Amadeu Rodrigues, não seja marionete de um grupo que não quer o bem do futebol paraibano. Sejam proativos Campinense e Treze – deixem de covardia e assumam os seus papeis de protagonistas. Alguém tem que quebrar essa panela e expor ao mundo porque não passamos da Série C do Campeonato Brasileiro.

E para não dizer que não falei das flores, a recepção que o Sousa (diretores, comissão técnica e jogadores) recebeu no Almeidão foi digna de pastelão. O meia Léo Olinda recebeu um tapa e socos e pontapés revelaram o cartão de visitas do Botafogo. Um bêbado e um ninguém comandaram a triste recepção. Na saída do jogo, a cena se repetiu: o bêbado bradava batendo no próprio peito e o um qualquer dizia que mandava. Triste para todos nós.

Fora José Renato.

- Sousa, Aldeone Abrantes, torcedores, somos um exército, o exército de um só, de um Clube só.



Memórias do Garotão: Roberto Dinamite e Adelmo Vieira (2010)
07 de maio de 2016 - Postado por: Redacao
 

Copyright © 2012 - Todos os direitos reservados